ERA UMA VEZ O AMOR MAS TIVE QUE MATÁ-LO Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut Compartilhe no Twitter

20/08/2012 ás 16:40h

Por: Colaborators

ERA UMA VEZ O AMOR MAS TIVE QUE MATÁ-LO

O melhor escritor da literatura pop da atualidade responde pelo nome de Efraim Medina Reyes. Seja lá qual foi a alcunha medíocre que você deve usar para designar aquilo que é pop, Efraim trata de estilhaçar em sua sintaxe. Do tipo que faria Nick Horby chorar, Efraim tratou logo de acrescentar um soco no estômago de Alta Fidelidade e Uma Longa Queda. O mais impressionante é que o escritor colombiano se livrou totalmente do realismo-mágico que assombra a literatura do país desde Gabriel García Márquez.

Os diálogos devastadores, o humor negro e a violência permeiam sua narrativa. Música, quadrinhos e cinema são temas recorrentes, algo parecido com aquilo que o Tarantino fez em Kill Bill, Pulp Fiction e Reservoir Dogs.

Trecho de  Era uma vez o amor mas tive de matá-lo (Ed. Planeta):

Kurt Cobain tem 10 anos e está voltando para casa com seu violãozinho, solitário sob a garoa de Seattle. Passa por um grupo de garotos negros mais velhos, que jogam basquete sem bola. É interceptado por um dos meninos, que o impõe o uso de seu instrumento: dez minutos depois, o garoto olha para Kurt assombrado – “Você tem os olhos do Jimi”, diz. Kurt volta para sua casa e encontra a mãe histérica com seu atraso. Como castigo, a mãe tira seu violão. Só resta ao pequeno Kurt tocar, como os garotos negros, violão sem violão. Muitos anos mais tarde, famoso, rico e deprimido, Kurt tenta outra vez tocar seu violão imaginário. Não consegue – e o resto vocês sabem.

O autor define seu estilo como uma forma de "terapia contra a horrível sensação de fracasso e abandono", seus personagens sempre  machistas, outsiders, de  linguajar peculiar e narrando cenas sexuais se compara em muitos momentos a obra do escritor brasileiro Marcelo Mirisola (O Herói Devolvido, O Azul do Filho Morto e outros.)

"Tudo o que existe em meus livros é absolutamente autobiográfico. Sou cada um de meus personagens: Rep, Sergio, Marianne... Nada foi inventado. Saí com 800 mulheres nos últimos 25 anos, consumi todas as drogas possíveis e algumas impossíveis, roubei..."  Efraim Medina Reyes

Efraim além de dominar a narrativa e envolver o leitor, também sabe conquistar pelos títulos de seus livros, além do sensacional "Era uma vez o amor mas tive de matá-lo", também assina "Técnicas de Masturbação Entre Batman e Robin", “Sexualidade da Pantera Cor de Rosa” e  “Pistoleiros/Putas e Dementes”. Os filmes de Wim Wenders, os Pixies, o Nirvana, o Boxe e a geração beat, eis o resumo de Efraim Medina Reyes (que já foi chamado de "Bukowski colombiano")

"Lendo William Blake aprendi que os poemas são uma coisa tão comum quanto as canções e que uma vida sem canções e sexo oral é muito entediante; ler um poema leva menos tempo que comemorar um gol e é igualmente revigorante para a alma. Embora não se possa discutir a eficácia de uma Ferrari ou de um anel de diamantes, o poema continua sendo um método barato e aconselhável quando o objetivo é uma loira peituda. Atrás das belas e atormentadas canções de Jim Morrison ou Kurt Cobain estão as leituras que fizeram de Baudelaire, Rimbaud, Blake e outros tantos poetas."  Pistoleiros/putas e dementes 

por Márcio Araujo

 

(7) Comentários

Comentários - Post: ERA UMA VEZ O AMOR MAS TIVE QUE MATÁ-LO




em 20/08/2012 ás 19:03h
por: Luana

vale (mto) a pena

em 20/08/2012 ás 21:31h
por: tony

bem interessante... vou conferir com mais atençao.

em 21/08/2012 ás 8:43h
por: Rafael

Quero!

em 21/08/2012 ás 9:13h
por: Chloe

quero ler agora!

em 22/08/2012 ás 8:27h
por: tony

Marcio.. baixa e impreme 3 pra presente.. *

em 22/08/2012 ás 8:58h
por: Márcio

não baixo, eu "importo"

em 21/12/2013 ás 13:13h
por: karoline

galera como faço pra conseguir um desse? Estou a procura por mais de 1 ano e meio e não consigo encontra em livraria nenhuma. Me ajudem . Quem tiver e quiser vender eu compro é só dizer o preço.

Deixe o seu comentário

Caracteres:

Nome:

E-Mail:


 

  • © 2008, Reverbcity. All rights reserved.
  • CNPJ: 08.345.875/0001-37
  • Insc.Est.: 90385677-70